RSS
email

PASTELARIA PAZ

NOVANET

Augusto Pinz

ACONTURS DESTACA IMPORTÂNCIA DA PARTICIPAÇÃO DOS CONSELHEIROS TUTELARES NA CAMPANHA MAIO LARANJA

Mês de Maio marca combate ao abuso sexual infantil e os Conselheiros Tutelares tem papel importante na conscientização.

A Associação dos Conselheiros e Ex-Conselheiros do Estado do Rio Grande do Sul (ACONTURS) está envolvida na campanha “Maio Laranja” que reflete ações de combate a violência sexual contra jovens e adolescentes. A cada hora 3 crianças são abusadas no Brasil. Cerca de 51% tem entre 1 a 5 anos de idade.

Todos os anos 500 mil crianças e adolescentes são explorados sexualmente no nosso país e há dados que sugerem que somente 7,5% dos dados cheguem a ser denunciados às autoridades, ou seja, estes números na verdade são muito maiores. Dados do Governo Federal mostram que 30% das denúncias no Disque 100, canal de denúncias contra violação de direitos humanos, são casos envolvendo crianças e adolescentes.

Para combater estes números a ACONTURS tem convocado conselheiros e conselheiras de todo o Estado para realizarem ações em seus municípios. O Presidente da ACONTURS, Jeferson Leon, o “Jéferson Careca”, destaca que são mais de 2.600 conselheiros espalhados pelo Rio Grande do Sul Durante este período trabalham em força tarefa em suas comunidades promovendo a conscientização. A data de 18 de maio marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Um dia para a conscientização da sociedade e autoridades sobre a gravidade da violência sexual de meninos e meninas.

Não é uma data escolhida aleatoriamente. Ela dá visibilidade a um crime bárbaro que chocou o Brasil, em 1973, quando a menina Araceli Cabrera Sanches, de apenas oito anos de idade, no Espírito Santo, foi seqüestrada, drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. O crime ficou impune.


AÇÕES DA ACONTURS

Após passar pelo Sul do Estado, litoral e região central, nos dias 17 e 18 de Maio acontecerá encontro em Santo Ângelo com formação para os conselheiros sobre o tema com debates sobre a Escuta Especializada, Depoimento Especial, e outras ações de proteção. Durante os encontros também é tratada a campanha “Semáforo do Toque” que orienta as crianças de forma didática para saber onde podem ou não serem tocadas.

Além destas ações um projeto em parceria com órgãos como Ministério Público, Defensoria do Estado do RS, Tribunal de Justiça, entre outros, está proporcionando a gravação de vídeo aulas que serão apresentadas a comunidade com informações sobre a escuta especializada de vítimas de abuso sexual e como os agentes de proteção devem agir.

 “O silêncio também deixa marcas para toda a vida. E o Conselho Tutelar é, geralmente, a porta de entrada para dar os primeiros passos nos encaminhamentos e cuidados das crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual, é importante formação qualificada e empatia para garantir o direito e a proteção às crianças e adolescentes”, destaca o presidente da ACONTURS, Jéferson “Careca”. Ele lembra que somente mobilizando toda a sociedade será possível mudar o cenário, construindo uma cultura de proteção integral.

Toda pessoa que souber de casos de violência sexual, abuso ou maus tratos contra crianças e adolescentes tem o dever de denunciar. Saiba como denunciar:

Jéferson “Careca”, Presidente da Associação dos Conselheiros Tutelares do RS. Ex- Conselheiro Tutelar em Viamão-RS de 2008 a 2015, membro do Fórum Nacional Colegiado dos Conselheiros Tutelares. Eleito presidente da ACONTURS em 2017.


Bookmark and Share

0 comentários: