RSS
email

Ponto com e Braga Celulares

CRESOL SUL CANGUÇU/RS

CRESOL SUL CANGUÇU/RS

Morada das Figueiras

São João Encomendas

NOVANET

Justiça determina pagamento de salários aos municipários de Pelotas

A greve dos servidores públicos municipais permanece em Pelotas. A segunda-feira (14) foi marcada por ato na prefeitura e arrecadação de alimentos para servidores que não receberam seus salários. A área mais afetada são postos de saúde. Na tarde desta segunda-feira, a prefeitura foi notificada pela justiça para cumprir a decisão liminar que obriga o pagamento integral do salário de todos os servidores. A Procuradoria-Geral do Município (PGM) irá recorrer da decisão, expedida pelo juiz Luís Antônio Saud Teles.
Depois da notificação, o prazo dado pelo juiz é de 48h para o cumprimento da decisão, que se encerra na tarde desta quarta-feira. Uma nova assembleia geral está marcada para quinta-feira, quando os trabalhadores irão avaliar o movimento.
Um balanço divulgado pela prefeitura aponta que pelo menos 20 postos de saúde permaneceram com as portas fechadas e com os trabalhadores de braços cruzados. De um total de 50 Unidades Básicas de Saúde (UBS), apenas dez estão com atendimento normal, as demais estão com funcionamento paricial. A saúde é a mais atingida pela greve, retomada na última quinta-feira. Os locais de pronto-atendimento, como o Pronto-Socorro, UPA e Samu seguem funcionando normalmente. Na UBAI Navegantes, o atendimento é mantido à tarde e durante a noite.
No bairro Simões Lopes, a UBS funcionava parcialmente na manhã desta segunda. Quem foi ao local buscar medicamentos, voltou de mãos vazias. Novos agendamentos foram cancelados até o fim da paralisação. O mesmo aconteceu na unidade Fraget, que abriu pela manhã mas com equipes incompletas. Na Cohab Fragata, uma placa informava o fechamento da unidade pela falta de salários.

Outras áreas afetados
A metade das escolas de educação infantil (Emei) recebem os alunos, porém enfrentam problemas com a merenda. Apenas professores e auxiliares de educação estão com os salários em dia. De um total de 29 escolas, praticamente a metade envia os alunos para almoçar em casa - a refeição é oferecida pela escola em dias normais de aula.

Nas escolas de educação fundamental, apenas 7% estão paralisadas, conforme dados da prefeitura. No Colégio Pelotense, a direção avalia se mantém ou não as aulas. No turno da tarde as aulas foram canceladas pela falta de monitores e merendeiras.
Entre as estruturas da Assistência Social (SAS), os Centros de Referência e Assistência Social (CRAS) Areal, Centro e Fragata estão fechados. Já o Centro Pop, os abrigos e os Centros de Referência Especializados permanecem abertos. Os Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) estão fechados na Castilho, Centro, Fragata e Pestano - no Dunas, São Gonçalo, Santa Cecília e Z3 funcionam normalmente.
Normais estão as pastas da Cultura, Segurança Pública, Planejamento e Gestão, de Habitação e Regularização Fundiária, de Gestão de Cidade e Mobilidade Urbana, Obras e Pavimentação, Desenvolvimento, Turismo e Inovação, além do Desenvolvimento Rural.
No Transporte e Trânsito, cerca de um terço dos agentes estão paralisados. A greve também afeta o Departamento de Iluminação Pública (DIP) e a hospedaria dos Grandes Animais, que não realiza novos recolhimentos neste momento.

Ato e arrecadação de alimentos
Mesmo com a forte chuva da tarde desta segunda-feira, o do Sindicato dos Municipários de Pelotas (Simp) manteve a programação. Uma barraca foi montada na Praça Coronel Pedro Osório, em frente à prefeitura, para distribuição de panfletos e arrecadação de alimentos para os servidores que estão sem os salários.

"Estamos aguardando a prefeita cumprir o que determinou a justiça", sinalizou Tatiane Rodrigues, presidente da categoria. Com a chuva, a maior parte dos servidores ingressou no Paço e permaneceu no saguão do espaço público.

Município irá recorrer
Em nota, a prefeitura confirmou que irá recorrer da decisão. "O Município não tem recursos para atender a demanda judicial, pois todas as contas liberadas para o pagamento de salários já foram utilizadas", afirma. No documento, únicas possibilidades aventadas pela administração dizem respeito a recursos vinculados à saúde e educação, com destinação já definida, repasses para a Câmara de Vereadores, também vinculadas, e o pagamento de precatórios, que também é determinado pelo Tribunal de Justiça. "Diante deste quadro, a prefeitura irá recorrer da decisão do juiz da 6ª Vara Cível da Fazenda Pública, Luís Antônio Saud Teles", finaliza a nota.


Programação da greve
Terça-feira (15): atividade das 13h às 16h na frente da prefeitura com barraca e distribuição de panfletos e adesivos, caixa para doação de alimentos e rodas de conversas.
Quarta-feira (16): doação de sangue das 11h às 15h no Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP) e na Santa Casa de Misericórdia de Pelotas; às 15h haverá concentração em frente à prefeitura e caminhada até a Secretaria da Fazenda, na rua Santos Dumont.
Quinta-feira (17): Assembleia Geral da Categoria com primeira chamada às 10h e segunda chamada às 10h30min no Auditório Externo do Colégio Pelotense para avaliar o movimento. (Diário Popular)

Bookmark and Share

0 comentários: