RSS
email

Ponto com e Braga Celulares

CRESOL SUL CANGUÇU/RS

CRESOL SUL CANGUÇU/RS

Morada das Figueiras

São João Encomendas

Tchê Parque

Nova polêmica entre Câmara e Prefeitura envolve contratos emergenciais

A rejeição de 90 contratos emergenciais na Câmara Municipal de Vereadores de Canguçu, durante sessão extraordinária na terça-feira (15), gerou mais um conflito entre o Legislativo e o Executivo. Após o desgaste provocado pela aprovação do IPTU agora a rejeição, por parte da Câmara, dos contratos gerou mais discussão e acusações em redes sociais.


O vice-prefeito e secretário de educação, Cledemir Gonçalves, falou - em entrevista para a Rádio Cultura AM - que a não aprovação dos contratos irá inviabilizar o início do ano letivo já que estes contratos seriam para profissionais da educação. Segundo ele a disputa política com a oposição fez com que a matéria fosse rejeitada. Ele criticou, abertamente, o vereador Nevinho Nornberg(PDT) que segundo ele teria se mostrado "muito entendido sobre educação", porém quando esteve frente ao Executivo com a coligação PT/PDT não teria feito grandes ações. "Conversinha mole, conversinha fiada em redes sociais para colocar profissionais da educação contra nós eu não aceito",disse. Fininho também criticou o vereador Erroldisnei Borges (PT) que segundo ele "não cumpre o que promete".
"Eu tive quatro anos na Câmara de Vereadores e nunca votei contra contratação de professor", lembrou Fininho. Ele disse que, agora, irá conversar com jurídico da Prefeitura para saber quais ações tomar. Ele ainda citou um por um dos demais vereadores que votaram contra, mas de maneira menos enfática. 
Votaram contra a matéria os vereadores: 
Neviton Nornberg, Ubiratan Rodrigues, César Madrid, César Silva, Rodnei Jacondino e Erroldisnei Borges.
Votaram a favor: Rubens Vargas, Cristiano Aguiar, Silvio Neutzling, Adolfo Griep e João Sodré. Os vereadores Luciano Bertinetti, Leandro "Pipa" e Carlos Eduardo "Dudu" não compareceram a sessão.
Vale destacar que com a presença dos vereadores do governo, Pipa e Luciano, o resultado poderia ter sido diferente. Estranho não comparecerem, justamente, em uma votação tão importante para o governo que defendem. 
O vereador Nevinho Norgberg (PDT) publicou um esclarecimento sobre a motivação da votação contrária:
Passo as seguintes considerações:
1) Contratação Emergencial para vagas de concurso em aberto onde as pessoas concursados estão esperando a nomeação não me parece justo. No 1° ano de governo tudo bem mas agora não.
2) Contratações tidas como emergenciais mas que se repetem todos os anos não caracteriza emergencialmente.
3) Contratos emergências para suprir vagas realmente emergência sou a favor, mas o Executivo que encaminhe de forma separada e não colocando todos os cargos na mesma mensagem.
4) Estamos entrando no 3° ano letivo deste Governo, se ele ainda não conseguiu identificar as carência e promover a adequação do quadro conforme as necessidades do Município não é culpa dos Vereadores e sim da falta de planejamento.
5) Defendo a educação como a única ferramenta que emancipa o cidadão e por tanto deve ser promovida com investimentos e continuidade e não apenas de forma emergencial.
6) Quem acredita que os Vereadores que não aprovaram contratações emergenciais são contra a Educação se enganam, pó ois eu defendo uma educação de qualidade e continuada, com o provimento das vagas como determina a legislação ou seja Concurso Público, pois os contratos emergenciais também fazem parte do cálculo de gasto com pessoal.
7) Por fim existe orientações do Ministério Público para que a Câmara não aprove contratações emergenciais. Afirmo que sou defensor da educação e se o Executivo tiver a sensibilidade de encaminhar apenas os casos emergências estarei voltando a favor. Quanto as demais funções que seja respeitado o Concurso Público!

INDIGNAÇÃO E DEBATES NO FACEBOOK
A negativa da matéria gerou uma enorme repercussão no facebook. Em questionamento de Elizangela Canez cobrando os vereadores contrários a medida, o vereador Pipa (MDB)- que não compareceu a sessão -  discutiu publicamente com o ex-secretário de Meio Ambiente , Jardel Oliveira (PSDB):


Ainda na mesma postagem o vereador Nevinho Nornberg foi questionado como foram rejeitados pedidos para Coordenação de escola, cargos em que não há concurso vigente. Em resposta ele disse que se o Prefeito encaminhasse os pedidos separadamente seriam aprovados.
Após a votação na Câmara Municipal, em sinal de protesto os vereadores derrotados abandonaram o plenário inviabilizando o restante da sessão.

19 PROFESSORES APOSENTADOS
Dentro das necessidades até o momento 19 professores se aposentaram na atual gestão.Estes podem ter reposição por concurso público vigente. Em casos de licença a Prefeitura não pode chamar concursados, e sim temporários, pois não abre nova vaga.

CORTINA DE FUMAÇA
Vereadores de oposição acusam o governo municipal de estar utilizando este fato como "cortina de fumaça" para que os canguçuenses esqueçam a situação IPTU. Será?

Bookmark and Share

0 comentários: