RSS
email

Ponto com e Braga Celulares

CRESOL SUL CANGUÇU/RS

CRESOL SUL CANGUÇU/RS

HD SAT

Morada das Figueiras

São João Encomendas

Tchê Parque

SUS 30 anos: números do sistema que atende 75% da população brasileira

Em outubro, o maior sistema público universal de saúde do mundo completa três décadas e reforça a importância da Atenção Primária à Saúde como porta de entrada

Em outubro, o Sistema Único de Saúde completa 30 anos. O SUS tem papel fundamental para a saúde do brasileiro, já que mais da metade da população depende do sistema para tratar, monitorar e prevenir doenças, além dos atendimentos de emergência. Diferente dos demais países do mundo, o Brasil tem o maior sistema público de saúde do mundo, custeado por impostos, sem cobrança de um segundo pagamento no momento das consultas e exames.

“Sabemos que nossa saúde pública enfrenta diversos problemas, desde acesso às consultas de rotina nas unidades básicas até as demandas de emergência e tratamentos mais complexos como transplantes e câncer. Porém, o SUS teve uma evolução durante esses 30 anos, que se não existisse, a qualidade de vida da saúde brasileira seria realmente inferior. Com esforços dos profissionais de saúde e também da Estratégia da Saúde da Família, o acesso está se expandindo. Estamos na metade do número ideal de equipe médicas, mas estamos avançando”, explica Patrícia Chueiri, secretária geral da SBMFC. 

A Saúde da Família é a principal estratégia do Ministério da Saúde para reorientar o modelo de atenção à saúde da população a partir da atenção primária. As equipes são multidisciplinares, formadas médicos, enfermeiros, dentistas, técnicos ou auxiliares de enfermagem e agentes comunitários de saúde que, junto as comunidade, desenvolvem ações de promoção da saúde, prevenção de agravos, diagnóstico e tratamento, recuperação, reabilitação de doenças. Atualmente existem 40 mil Equipes de Saúde da Família implantadas. A execução da ESF é compartilhada pelo governo federal, estados, Distrito Federal e municípios. Ao governo federal cabe estabelecer as diretrizes nacionais da política e garantir as fontes de recursos financeiros para o componente federal do seu financiamento.

“Há muitos exemplos positivos sobre o SUS como as unidades básicas e as equipes com os médicos de família e comunidade, únicos especialistas formados com foco na Atenção Primária no Brasil. Esses médicos especialistas que estão espalhados em todas as regiões do país, realizam atendimento desde o pré-natal até os cuidados paliativos, visita domiciliar, medicina rural, onde os médicos atuam em locais remotos de difícil acesso. Como a Atenção Primária é a porta de entrada do SUS, o fortalecimento cada vez mais é essencial para que o sistema consiga, de fato, estender o atendimento a toda população. Além disso, há casas de partos, unidades de tratamento que são referência, campanhas de prevenção e de cobertura vacinal que contribuem para a saúde do brasileiro”, comenta a médica de família e comunidade.

O SUS em números:

- Atende 75% da população exclusivamente. Ou seja, 135 milhões de brasileiros que não possuem nenhum plano de saúde, os chamados “SUS dependente”; 

- Com a Estratégia da Saúde da Família, 40 mil equipes formadas por multiprofissionais da área da saúde. As equipes são multidisciplinares, formadas médicos, enfermeiros, dentistas, técnicos ou auxiliares de enfermagem e agentes comunitários de saúde que, junto as comunidade, desenvolvem ações de promoção da saúde, prevenção de agravos, diagnóstico e tratamento, recuperação, reabilitação de doenças; 

- oferece a maior cobertura vacinal do mundo gratuitamente, com cobertura nacional.  Ao todo, são 19 tipos de vacinas diferentes, que erradicaram doenças virais como rubéola, hepatite, sarampo; 

-  O número de internações hospitalares sensíveis à atenção primária  teve uma queda no de 20% entre 1999 e 2006. São consideradas condições sensíveis: hipertensão, diabetes, doenças respiratórias, que podem ser tratadas com acompanhamento médico periódico; 

- Segundo o Governo Federal, existem mais 10 mil unidades básicas de saúde em construção espalhadas pelos mais de 5.800 municípios do país. Atualmente, mais de 38 mil estão em funcionamento.

Bookmark and Share

0 comentários: