RSS
email

Ponto com e Braga Celulares

Morada das Figueiras

O ESCRITÓRIO

CREHNOR CANGUÇU/RS

CREHNOR CANGUÇU/RS

HD SAT

Impressão Radical

Impressão Radical

Eliezer Rutz Antenas

OAB sinaliza ato de improbidade do vice-prefeito

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), subseção Canguçu/RS, encaminhou um ofício a autoridades municipais cobrando medidas no sentido de frear o que classificaram de "absurda conduta cometida pelo vice-prefeito  atualmente secretário de Educação, Esporte e Cultura Cledemir de Oliveira Gonçalves (Fininho)" referente a autorização para advogados da empresa Barbieri Advogados de Porto Alegre a praticarem atos advocatícios em favor dos professores e funcionários públicos municipais.
Segundo a OAB os referidos atos poderão vir em prejuízo do próprio município o qual o vice-prefeito comanda, desequilibrando uma das partes em sua manifestação de apreço. Para a ordem o vice-prefeito Fininho (PSDB) teria cometido ato de improbidade administrativa ao dar guarida a um escritório particular em desfavor do município. O ato teria ferido os artigos 10 e 11 da lei 8.429/92, cumulado com o artigo 117, Inc.V da lei 8.112/90 que diz que ao servidor é proibido promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição.



MANIFESTAÇÃO DO VICE-PREFEITO
Sobre este fato o vice-prefeito Fininho (PSDB) se manifestou em seu facebook. Confira:

NOTA DE ESCLARECIMENTO, INDIGNAÇÃO E REPÚDIO
Caros amigos e amigas, especialmente nossa População Canguçuense, primeiro fica aqui meu respeito, admiração e gratidão... Neste sábado 02/09/17 novamente acordei as 6 da manhã, desta vez não para trabalhar, mas para esclarecer um fato que esteve em pauta nesta sexta 01/09, e ao nesmo tempo deixar meu REPÚDIO e TRISTEZA com alguns membros da OAB Canguçu. Para que todos fiquem cientes do acontecido esta OAB protocolou ou irá protocolar um pedido de Improbidade administrativa contra o Vice Prefeito de Canguçu "ou seja EU". Pelo fato de ter assinado uma Autorização para que um advogado fosse às Escolas falar com Professores e funcionários, prática esta da Autorização adotada desde o início do ano para todos que forem visitar uma Escola, tanto que temos mais umas 15 autorizações, de vários teores " não foi um fato isolado" Ou seja tenho 39 anos de luta, trabalho, conquistas e o reconhecimento de uma Comunidade pelo serviço prestado, e acima de tudo a conduta e postura adequada. Senhoras e senhores estamos diante dos fatos, um País de Políticos , Empresários e outros que roubam milhões dos cofres públicos estão impúneis. Mas em Canguçu poderá ter um vice prefeito julgado por assinar uma Autorização " não é para rir é a verdade" De repente seria até interessante que isso viesse acontecer, seria um deboche, uma afronta a um País que se diz Democrático de Direito, teriamos em todas as mídias e páginas de jornais, ficaria na História de Canguçu. Em algum momento nas aulas de história a professora iria perguntar para o aluno por que Canguçu teve um vice prefeito CASSADO, porque assinou uma Autorização!!! Canguçu conheceu e aprendeu a respeitar o PROF FININHO, e isto que me basta!!! Respeito que algumas pessoas não conhecem, fica minha tristeza e repúdio a estas pessoas que fazem o que querem do jeito que bem entendem, sem ao menos te ouvir ou dar direito de defesa. Ainda acredito na justiça, a verdade e os homens de bem prevalecerão. PAZ E BEM A TODOS!!!



PROCESSO DISCIPLINAR
Qualquer cidadão ou pessoa jurídica pode encaminhar uma representação para a Câmara Municipal de Vereadores pedindo ao Presidente, nesta ano vereador João Durão (PRB), para que a conduta seja investigada. A denúncia não pode ser anônima e após comunicado o plenário da Casa Legislativa o presidente pode designar um membro para averiguar preliminarmente os fatos e apresentar um relatório para a Comissão de Ética da casa que pode ainda ouvir as partes envolvidas. Porém apenas uma correspondência foi entregue em forma de ofício não como uma denúncia.
De igual forma a OAB pode abrir investigação de conduta dentro da atuação dos profissionais. 


Bookmark and Share

1 comentários:

Claudiomar Pereira da Cunha disse...

Na minha opinião é muito alarde para um fato isolado que o Secretário praticou sem a menor intenção de prejudicar a quem quer que seja. O Professor Cledemir de Oliveira Gonçalves não possui formação jurídica e seu ato decorreu da sua total ignorância da Lei.