RSS
email

Ponto com e Braga Celulares

Morada das Figueiras

O ESCRITÓRIO

CRESOL SUL CANGUÇU/RS

CRESOL SUL CANGUÇU/RS

HD SAT

Impressão Radical

Impressão Radical

Eliezer Rutz Antenas

CPI do Hospital ouviu novas testemunhas

A ex-Coordenadora Regional de Saúde, Kátia Hoffmann, foi interrogada pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal de Vereadores de Canguçu, na tarde desta terça-feira (18). A A 3ª Coordenadoria é responsável por 22 municípios da região e atua nos contratos com os hospitais, municípios e estado. Além dela o advogado do hospital, Adriano Telesca Mota e representante da empresa CT Sul, de Bagé, foram questionados pelos Vereadores.
Kátia foi a primeira interrogada.
Kátia falou sobre o período em que esteve à frente da coordenadoria e relatou as dificuldades de diversos hospitais da região, não somente Canguçu. Para ela alguns dos problemas ocorrem quando as casas de saúde não trabalham com a realidade na estrutura que dispõem os municípios, a crise econômica e a tabela SUS. Segundo ela o papel da é de acompanhamento dos contratos entre a Secretaria de Saúde do Estado e o atendimento das metas, sem autonomia financeira. 
Por vezes, durante os questionamentos, a questão virou uma batalha entre governo anterior e governo atual no RS. Vereador Erroldisnei (PT) lembrava ações e questionava falta delas no Governo Sartori enquanto Kátia questionava a falta do recurso em caixa por parte do gestor anterior Tarso Genro(PT). O presidente da CPI, Nevinho Nornberg (PDT), precisou intervir lembrando que este não era o foco da CPI.
Lairton Barros, sócio-administrador da empresa CT Sul, falou sobre o contrato que tinha com o hospital inicialmente pagando 2% do faturamento passando, posteriormente, a 7% do valor bruto. O contrato com a empresa ocorreu de 2007 a 2012.
Ao final foi ouvido o advogado Adriano Telesca Mota, que foi responsável pelo jurídico do hospital. Ele falou, em especial, sobre as rescisões de contratos com ex-funcionários e o seu debate na Justiça do Trabalho.Ele também falou sobre dívida da instituição com o BRDE - assunto que foi levantado pela CPI e que estava "esquecido". Corre uma ação em Porto Alegre, porém não foram citados valores. Sobre os gestores que passaram ele destacou Regis Silva como um verdadeiro profissional da área. 

Bookmark and Share

0 comentários: