RSS
email

Ponto com e Braga Celulares

Morada das Figueiras

O ESCRITÓRIO

CRESOL SUL CANGUÇU/RS

CRESOL SUL CANGUÇU/RS

HD SAT

Impressão Radical

Impressão Radical

Eliezer Rutz Antenas

Amigos de Maiara Köhler realizaram manifestação

Manifestação também lembrou jovem Jaíne

Familiares e amigos de Maiara Köhler, assassinada em 2012, realizaram uma manifestação de repúdio no centro de Canguçu no dia 15 de novembro, no começo da tarde. Em silêncio seguraram cartazes com pedido de justiça e respeito a vida. Também integraram a manifestação amigos e amigas de Jaíne Centeno morta em março deste ano.
A manifestação teve tom de repúdio pela soltura do condenado pelo crime de Maiara, o jovem Bernardo Bhöm, que após cumprir quatro anos de reclusão está solto em regime semiaberto. 
Segundo informações do jornal Diário Popular, de acordo com o promotor de Justiça de Canguçu, Márcio Saalfeld Pinto Ferreira, o protesto é legítimo, mas a progressão de regime do criminoso é um direito. "A lei traz determinados percentuais de pena decorrente de cada crime para progredir. No momento em que o apenado cumpre o requisito legal, ganha esse direito objetivo, ainda que a promotoria não concorde", diz. Bernardo foi preso preventivamente em 2012. O julgamento aconteceu em 2015, mas os três anos de reclusão preventiva contam para a pena. Sendo assim, o jovem cumpriu um terço. O comportamento satisfatório dentro da casa prisional também auxiliou para a progessão. "A sensação de injustiça paira pelo tempo, mas é uma questão Legislativa, um direito automático. O protesto deve servir para demonstrar que a pena para crimes de homicídio é muito baixa", finaliza o promotor, explicando que caso a condenação fosse de - por exemplo - 50 anos, o apenado precisaria cumprir pelo menos 15 antes de voltar ao convívio social.
A família da vítima considera a progressão um risco à sociedade e questiona o tempo de cumprimento da pena imposta pela Justiça. "Minha vida parece que está acabada, eu não aguento mais. Vamos fazer um protesto, soltaram o monstro", escreveu Claudiomar Kohler, pai de Maiara, em uma rede social.

Fotos: Augusto Pinz/Canguçu em Foco

JAÍNE
Amigos da jovem Jaíne, que tinha 16 anos na época do crime, também participaram do ato em apoio aos familiares de Maiara e na expectativa que a justiça seja feita em relação ao autor do crime contra Jaíne. O Ministério Público já pediu o julgamento do acusado - que está preso - pelos crimes de 
sequestro duplamente qualificado tentativa de estupro qualificada, homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. O julgamento deverá ocorrer em breve.
NOVA MANIFESTAÇÃO
Por conta do feriado prolongado a família pretende organizar nova manifestação ainda em data a ser marcada para maior mobilização de pessoas.

Bookmark and Share

0 comentários: