RSS
email

Rodeio In Fest - em Setembro

Morada das Figueiras

O ESCRITÓRIO

CREHNOR CANGUÇU/RS

CREHNOR CANGUÇU/RS

HD SAT

Semana do Servidor Público - Bradesco

Eliezer Rutz Antenas

Professores decidem acabar com a greve

Em Assembleia Geral realizada nesta quinta-feira, dia 07, na Casa do Gaúcho, em Porto Alegre, professores e funcionários de escola decidiram pela suspensão da greve e pelo fortalecimento das mobilizações contra os ataques governo Sartori e do governo golpista de Michel Temer. Entre as propostas aprovadas está a campanha “Sartori Inimigo da Educação – FORA SARTORI”. O retorno às aulas ocorre na segunda-feira, dia 11.

“Com muita coragem e prudência vamos suspender a greve. É um recuo tático para voltarmos com muito mais força contra este governo intransigente e autoritário. Esta greve foi histórica, pois pela primeira vez no Estado conquistamos o apoio da comunidade escolar. Nossos estudantes se levantaram em defesa da escola pública e ocuparam quase 200 escolas. Colocamos a educação no centro das discussões do Estado. Esse governo não será um governo de avanços, mas sim de resistência para não perdermos nossos direitos. Continuaremos nas ruas, cada vez mais fortes para barrar os ataques dos governos Sartori, Temer e seus aliados”, afirmou a presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer.
A greve realizada pelos educadores desde o dia 13 de maio, completou hoje 53 dias de paralisação, a maior dos últimos 25 anos.
Na ocasião, os educadores também aprovaram o documento enviado na tarde de ontem pelo governo, após reunião com o Comando de Greve do CPERS. O documento garante avanços conquistados através da resistência dos educadores como a revogação do Difícil Acesso, a garantia do pagamento dos dias parados dos grevistas e o comprometimento do governo em não criminalizar o movimento dos estudantes que realizaram as ocupações e dos educadores que que aderiram à greve. A íntegra das propostas pode ser conferida aqui.
Outra votação realizada durante a Assembleia foi a da pauta de mobilizações da categoria, também aprovada (confira abaixo).
O CPERS orienta a direção de todos os Núcleos que, a partir da Gestão Democrática, iniciem a organização do calendário de recuperação dos dias letivos e das horas aulas, os quais devem ser aprovados pelos Conselhos Escolares e encaminhados às Coordenadorias Regionais de Educação – CREs.

Propostas de mobilização aprovadas:
1- “Sartori Inimigo da Educação – FORA SARTORI”. Realizar Campanha para derrotar o Projeto do Governo Sartori (PMDB) e seus aliados para impedir a destruição das escolas e dos demais serviços públicos;
2- Realizar Campanha de Mídia contra o PL 44/2016 e participar das Audiências Públicas sobre o referido Projeto de Lei, organizadas pelo conjunto dos Servidores Públicos Estaduais. Audiências Públicas confirmadas: dia 14/07, às 18h, na Câmara de Vereadores, em Santa Cruz do Sul e dia 15/07, às 9h30min, na Câmara de Vereadores, em Caxias do Sul;
3- Participar da Marcha Nacional dos Servidores Públicos Federais, Estaduais e Municipais, no dia 12/07/2016, em Brasília/DF, com a seguinte pauta: Contra Toda a Retirada de Direitos;
4- Materializar uma Campanha do CPERS/Sindicato nas Lutas Nacionais em prol dos Direitos dos Trabalhadores em Educação com o lema “Educação, Democracia e Direitos”;
5- Participar da Construção da Greve Geral;
6- Participar da Campanha Fora Temer;
7- Denunciar o Estado que utiliza 30% do seu orçamento para incentivos fiscais e afirma não poder pagar os salários. Padronizar um e-mail a ser enviado a todos os deputados e governador, cobrando transparência;
8- Realizar a Campanha “Onde esta o meu salário?”, organizando painéis e desmentindo as afirmações do Governo Estadual referentes aos valores dos salários dos educadores;
9- Realizar auditoria nas contas do FUNDEB;
10- Realizar Atos Públicos, em caso de parcelamento de salário, no dia do pagamento, em frente as agências do Banrisul. A atividade deve ser organizada por cada Núcleo;
11- Organizar Conferências Regionais, envolvendo toda a comunidade escolar, a partir do mês de agosto, para discutir e repensar a escola que queremos;
12- Denunciar o PL 190/2016 e tensionar os Deputados para a sua não aprovação;
13- Garantir a participação de representantes, por Núcleo, no Debate sobre o PNE – Plano Nacional de Educação, frente ao contexto das políticas educacionais brasileiras, que se realizará no dia 13/07/2016 (4ª feira), às 13h30min, no Auditório Paulo Freire do CAFF – Centro Administrativo Fernando Ferrari, em Porto Alegre;
14- Realizar Moção de Repúdio contra a postura do Ministério Público de Torres, que motivou a instalação de sindicância em relação a um colega por suas convicções políticas;
15- Realizar Moção de Repúdio as agressões sofridas pelos alunos ocupantes da escola Cristóvão de Mendonça, de Caxias do Sul, de autoria de alguns professores, direção da escola, Coordenadoria Regional (CRE) e Polícia Militar.
16- Retornar às aulas na segunda-feira, dia 11 de julho de 2016.

Bookmark and Share

0 comentários: