RSS
email

Ponto com e Braga Celulares

Morada das Figueiras

O ESCRITÓRIO

CREHNOR CANGUÇU/RS

CREHNOR CANGUÇU/RS

HD SAT

Impressão Radical

Impressão Radical

Eliezer Rutz Antenas

A indignação de um cidadão comum

*Por Paulo Akiyama

Ao acordar nesta data, 17 de março de 2016, após inúmeras reportagens do dia anterior, ao ser anunciado pelo Planalto que o Sr. Luiz Inácio Lula da Silva seria nomeado Ministro da Casa Civil e, após este anuncio ser publicitado, iniciaram as manifestações contrárias a esta notícia, manifestações estas promovidas por pessoas que espontaneamente compareceram a tais manifestos. 

Ao longo do dia, encontrei pessoas que podemos considerar desde o mais simples trabalhador até de um cidadão Judeu Ortodoxo, que explanou “meu Deus, o que vai acontecer agora”, isto realmente me espantou, inúmeras manifestações diversas e maneiras, porém com o mesmo condão, INDIGNAÇÃO. Com as divulgações dos grampos telefônicos pela imprensa, ao final do dia, mostrando realmente haver um “projeto criminoso do poder” “palavras do ministro Celso de Melo no julgamento do processo do mensalão”. Tais manifestações espontâneas da população em defesa da nação Brasileira, acabei decidindo escrever este artigo, já que há alguns meses atrás escrevi “O DESABAFO DE UM CIDADÃO”.

Para que nossos leitores entendam melhor, iniciou-se uma investigação em 2009 por parte da polícia federal, onde haviam indícios de lavagem de dinheiro por parte do deputado José Janene, na cidade de Londrina, Estado do Paraná.

Em meados de 2013, a investigação inicia o monitoramento de conversas de doleiros envolvidos no esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que então ficou conhecida como “LAVA JATO”, e que permaneceu assim com este rótulo até o presente. Outras operações da Polícia Federal foram deflagradas entre elas “Dolce Vita” com a prisão da doleira Nelma Kodama, “Bidone” que culminou com a prisão do doleiro Alberto Youssef e “Casa Blanca” onde foi preso o doleiro Raul Srour, sendo incluídas na operação Lava Jato.

Estas operações vieram a trazer informações que o Doleiro Youssef havia presenteado o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa com um Land Rover, iniciando-se assim a intensificação da operação Lava Jato, nome que predominou sobre as outras.

Hoje dia 17/03/2016 completaram dois anos da primeira operação ostensiva sobre as organizações criminosas dos doleiros e Paulo Roberto Costa, operação esta que espantou a população visto que foram cumpridos 81 mandados de busca e apreensão, 18 mandados de prisão preventiva, 10 mandados de prisão temporária e 19 mandados de condução coercitiva, atingindo 17 cidades em 6 Estados e no Distrito Federal, trazendo informações de corrupção na NOSSA PETROBRÁS.

Uma megaoperação, assim considerado à época dos fatos, porém, com o tempo outras maiores ainda, foram deflagradas. Veio a público que a cada operação a anterior se tornava menor. Totalmente assustador e criando indignação a população.

Ao longo destes dois anos de processo criminal e investigações, um grupo de delegados federais, agentes federais, procuradores federais e o Juiz Dr. Sergio Fernando Moro, e outros envolvidos, realizaram 24 fases de operações, as quais trouxeram a população indignações. Trouxe luz às pessoas e assim puderem ter conhecimento de quanto dinheiro era objeto de corrupção em nosso pais.

A cada fase de operação da Lava Jato, surgiam mais e mais provas, envolvia pessoas poderosas, tanto politicamente como financeiramente.

O povo assistiu pessoas que imaginavam que nunca poderiam ser presas e sendo efetivamente presas, ainda permanecendo presas por bom tempo. Poderosos da política, lobistas, empresários e vindo culminar com a prisão de um Senador da Republica em pleno exercício, juntamente com outros integrantes do convívio dos poderosos mandatários do poder.

Condenações de 10, 15, 20 anos de prisão. Sentenciados rapidamente, sem procrastinação de anos para que se sentencie um criminoso.
A cada fase das operações da Lava Jato, surgia a enorme indignação da população, pessoas pobres que nem mesmo podiam ter um atendimento médico por falta de verbas nos hospitais públicos viam que em detrimento a sua saúde outros poderosos “enchiam os bolsos”.

Muitos escândalos vieram à tona antes e durante a operação Lava Jato. Quem se esqueceu do homem com dinheiro na cueca? Quem se esqueceu da Rosemeire que andava com malas contendo milhares de Euros em Portugal? Quem se esqueceu de Marcos Valério e Katia Rabello que estão cumprindo pena do então processo do Mensalão?
Tantos escândalos surgiram que a nossa população vem se indignando cada dia mais e mais.

Neste último dia 13/03/2016 houve a maior manifestação pública de repúdio ao Governo e aos envolvidos na operação Lava Jato. Órgãos oficiais declararam ter havido em torno de 3 milhões de pessoas nas ruas em todo o Brasil, porém, mais uma vez subestimam a população, pensam ainda que o povo “são os peões de fábrica” com se dirigiu o Sr. Lula em um grampo telefônico divulgado aos seus correligionários. O povo possui no mínimo bom senso, portanto sem ir ao céu ou ao inferno, vamos trabalhar com uma média, apesar de não ser o mais lógico dos cálculos, porém serve para nosso texto, estimamos que houve uma manifestação de 4 milhões de pessoas. 

Quando na história brasileira isto ocorreu e de forma pacifica? Nunca.

Assim, a minha indignação soma-se a mais quantos milhões de pessoas? 4 milhões? 6 Milhões? 190 Milhões?
O grande cume de tudo isto ( até agora), deu-se com o depoimento do Sr. Lula a polícia federal no último dia 04/03/2016, ficando nítido que o mesmo está sendo investigado há muito tempo, pois quem leu a íntegra do depoimento do mesmo ao delegado da polícia federal percebeu que o mesmo nada respondeu, em especial, quando perguntado a origem do dinheiro doado ao Instituto Lula bem como a quantidade de palestras que promoveu.

A partir de então, este senhor que se escuda no cargo de ex-presidente de republica, percebeu claramente que era alvo e que a Policia Federal, a Procuradoria Federal e a Justiça Federal possuíam muitas provas ou indícios de sua participação no poderoso projeto de corrupção.

Temendo ser preso pela Policia Federal, pois ex-presidente não possui foro privilegiado, fez articulações políticas e buscando o manto de seus protetores, porque não dizer, colaboradores, e é nomeado Ministro da Republica.

A indignação da população foi tão grande, o sentimento de perda da cidadania foi tão grande, o sentimento de ter sido esbofeteado foi tão grande, que pairava no ar o desespero das pessoas.
Com a quebra de sigilo de interceptações telefônicas pelo Juiz da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba veio a público, telefonemas do Sr. Lula tramando articulações que podem ser consideradas criminosas, envolvendo ministros da Suprema Corte, senadores, deputados, Ministro da Justiça recém nomeado e que tomaria posse juntamente com ele, entre outros mais. Rotulando tais pessoas de acovardados entre outros predicados de baixo calão, aliás, um vernáculo próprio deste cidadão.

Sabedor que possuía um enorme risco de ser decretada a sua prisão, em uma articulação desesperada é nomeado ministro pela Presidência da República, a qual determinou e publicação em edição extra do diário oficial para que a nomeação do Sr. Lula fosse publicada com a data de 16/03/2016, carreando assim eventual investigação ou processo judicial para o STF, por ter então foro privilegiado como ministro da república. Em tese, total trama política.

Em uma ligação telefônica, que muitos estão repudiando a publicidade, diversas são as fundamentações, porém, é clara no dizer que caso necessite, use o termo de posse. 
Vem a público desmentir aquilo que está claro a todos. Mais uma vez subestimando a capacidade intelectual do povo brasileiro.

Tem hora que todos se perguntam, e sem dúvidas perguntam, porque quer ser nomeado ministro e quer ser investigado pelo STF?
Muitos entenderam pronunciamentos de Ministros do STF na data de ontem, quando perguntados sobre os grampos telefônicos e sobre o termo de posse, que estão sem sombra de dúvidas colocando em dúvidas o ato do Juiz Sergio Moro de suspender o sigilo da investigação. Porque será? Esta pergunta fica no ar, afinal, não somos conhecedores profundo do direito penal e constitucional como são tais ministros do STF. Somos apenas cidadãos brasileiros indignados com tanta sujeira e corrupção. 

Vejam bem, quem está dizendo não sou eu, mas sim o noticiário do dia a dia, notícias que saem a cada minuto, declarações públicas, apenas estou aqui comentando e demonstrando a INDIGNAÇÃO a todos estes fatos.
O povo está nas ruas, a Câmara dos Deputados instalando o procedimento de impedimento da Presidente da República, o Senado fugindo de decidir com o “diabo foge da cruz”, ou seja, o mais ignorante, culturalmente falando, do povo, está vendo que estão manipulando as decisões ou querendo evitar confrontos. Isto parece um jogo de chantagens, aquelas que assistimos nos filmes de Hollywood.

Como pode viver um povo que não confia na Suprema Corte do país, não confia em seus políticos, não confia em mais ninguém e a única pessoa digna de confiança estão querendo derrubar de qualquer forma, que é o Juiz Dr. Sergio Fernando Moro.

INDIGNAÇÃO seria a palavra? ou REVOLTA? VERGONHA? DECEPÇÃO?
Bom, seja lá o que for, o sentido é sempre o mesmo, descrença em nossos governantes e em nosso sistema judiciário. Esta artimanha de levar a investigação do Sr. Lula a Suprema Corte deixou todos com enorme desconfiança do porquê. A famosa “pulga atrás da orelha”. Precisamos de explicações. Precisamos salvar nosso país. Precisamos ser um povo livre e digno.

*Paulo Eduardo Akiyama é formado em economia e em direito 1984. É palestrante, autor de artigos, sócio do escritório Akiyama Advogados Associados, atua com ênfase no direito empresarial e direito de família. Para mais informações acesse http://www.akiyamaadvogadosemsaopaulo.com.br/


Bookmark and Share

0 comentários: